Como Fazer Uma Lista De Tarefas De Sucesso

Como fazer uma lista de tarefas de sucesso

Criar uma lista de tarefas ou To Do List é muito importante para o meu desempenho. No entanto, e durante muitos anos, fiz listas e mais listas de coisas para fazer, mas por muitas listas que fizesse, nunca ficava contente com os resultados.

Tinha várias listas com vários temas e cada lista tinha cada vez mais items, pelo que nunca acabava de fazer nada daquilo que precisava fazer. E mesmo quando conseguia fazer algumas coisas de uma das listas, parecia que não tinha feito nada. Era mesmo frustrante!

Alguma coisa eu não estava a fazer bem, e decidi investigar um pouco mais esta questão. E a verdade é que descobri pequenos truques que fazem toda a diferença.

A lista deve ser diária

Apesar de continuar a ter uma lista de tarefas para fazer a longo prazo, tenho feito uma lista com as tarefas que devem ser feitas num dia específico. Desde que uso este método, tenho conseguido realizar muito mais trabalho e riscar muito mais tarefas da minha lista.

A lista diária deve ser feita no dia anterior.

De facto, quando faço a lista no dia anterior tenho melhores resultados. Em primeiro lugar, liberta-me do stress de estar sempre a pensar “Não me posso esquecer de fazer isto amanhã”. Parecendo que não, fico menos preocupada. Em segundo lugar, quando começo o dia sei exactamente o que tenho para fazer e não ando a procrastinar nem a perder tempo a pensar “o que é que vou fazer?”.

A lista deve conter as minhas prioridades.

Estabeleço sempre no topo da minha lista as 3 tarefas mais importantes para fazer no dia. Essas são as minhas prioridades. De seguida, coloco as restantes tarefas pela ordem que achar mais adequada.

Faço o mais importante primeiro.

Isto é fundamental: primeiro faço as tarefas que assinalei como prioritárias no topo da minha lista. Se começo por fazer aquelas outras tarefas que levam menos tempo e que são mais fáceis mas não tão importantes, quando chego à tarefa principal já não a faço. Há sempre várias desculpas para adiar: “Agora já não tenho tempo para acabar”; “Agora estou cansada”; “Hoje já fiz muita coisa”. Assim, a primeira coisa a fazer no dia é a tarefa mais difícil ou demorada e importante da lista.

A lista não deve ser demasiado grande.

Já aprendi a não colocar tarefas em demasia pois sei que não vou conseguir fazer tudo de uma vez. Para isso, no fim da minha lista tenho um espaço para tarefas que posso fazer se tiver tempo. É importante ter consciência do que é importante fazer e do que podemos fazer depois. É preferível colocar poucas tarefas na lista, mas estas tarefas têm mesmo que ser feitas.

A lista deve ser flexível.

Se acontecer um imprevisto, sei exactamente o que me vai faltar fazer e consigo mais facilmente reorganizar a minha lista, mesmo que tenha que transferir algumas tarefas para o dia seguinte.

Posso acrescentar as tarefas que não estavam previstas.

Acontece muitas vezes chegar ao fim do dia e ter a sensação de que fiz pouco ou nada, mesmo que tenha riscado várias coisas da lista, mas tenho um truque. Acrescento sempre na lista coisas que vou fazendo ao longo do dia e que não estavam previstas, mesmo que sejam pequenas tarefas. Assim, no fim do dia a lista vai conter o que tinha planeado fazer e todas as coisas “extra” que fiz sem ter planeado e percebo que afinal até fiz muitas coisas.

Aplico todos os dias estas regras às minhas listas. Quando não o faço por alguma razão, sinto muita diferença e o meu dia já não é tão produtivo, o que só me motiva mais a não deixar de usar este método.

E tu? Como fazes as tuas listas? Espero que estas sugestões também te ajudem no dia-a-dia e se tiveres mais alguma dica, partilha aqui.

Partilha aqui as tuas experiências